Viagem para Bali: Ubud – Floresta de Macacos e Templo Sagrado

Tempo de leitura: 5 minutos

Cover - Bali Ep 7

Como contei no último post, saímos de Nusa Lembongan e chegamos a Ubud novamente. Só tivemos tempo de sair para jantar, encontrar mais uma menina da Alemanha que se juntaria ao nosso grupo em 2 dias, comprar protetor solar, mais umas bugigangas, sacar dinheiro e dormir.


Dia 9 – Ubud:

No dia seguinte, acordamos bem cedo, porque era o último dia da menina da Áustria conosco e ela tinha que estar no aeroporto no início, meio da tarde, por aí. Decidimos quais seriam os lugares interessantes de conhecer e, pelo fato de eu já ter passado por lá anteriormente, acabei repetindo alguns passeios. Não reclamo de jeito algum, até porque o dia estava bem mais bonito e propício para as visitas.

Descemos a rua principal Jl. Raya Ubud até chegarmos em outra rua bem movimentada chamada Jl. Monkey Forest. Acho que já dá para saber para onde fomos, não é? Isso mesmo, fomos à famosa floresta dos macacos! Fica bem pertinho do “coração” de Ubud. Super tranquilo de ir a pé. Já perto do local, passamos por alguns locais que estavam rodeando uma mesa cheia de refeições e aparentemente era uma espécie de agradecimento pela comida que eles estavam tendo a oportunidade de desfrutar no dia. Se vocês forem até lá, vocês vão ver que eles montam umas “oferendas” chamada “Canang Sari” em forma de gratidão e busca de boa sorte, e eles fazem isso todo dia sem falta, largando próximo de onde eles vivem normalmente (tomem cuidado onde vocês vão pisar).

Ritual - Bali Ep 7

Chegamos à floresta dos macacos. O lugar é realmente CHEIO de macacos para tudo quanto é lado. Logo na entrada já vai dar para ver uns funcionários do parque que te vendem banana e chamam os macacos pra subir na gente e podermos tirar foto. Sinceramente, eu tenho um certo receio com primatas. Tenho a impressão de que nunca dá para saber como eles vão reagir a qualquer movimento teu. Por isso, nem mexi muito com eles, só curti o passeio com as meninas. Dá para gastar umas 2 horas no parque tranquilamente se for aproveitar tudo com calma. A única dica que eu tenho para vocês é a de guardar bem os itens de valor em mochilas e mesmo assim, cuidem, porque tem uns malandrinhos que conseguem inclusive abrir zíperes e roubar qualquer coisa. Alguns macacos subiram em mim no caminho, mas a maioria subia pra ver se tinha algo, se desapontava e ia embora. Já a alemã deu o azar de ter uma barrinha de cereal aparecendo. Não deu outra, um macaco pequeninho veio, roubou, abriu o pacote e saiu correndo.

Macacos 1 - Bali Ep 7 Macacos 2 - Bali Ep 7

Saímos da floresta e voltando pela mesma rua que viemos, abordamos alguns locais que ofereciam carona para diferentes lugares. Depois de algumas tentativas, encontramos um que estaria disposto a nos levar a alguns lugares por um preço que não fosse absurdo. Como disse várias vezes, tem que ter muito cuidado pra não te cobrarem algo muito mais caro que o preço normal. Nosso plano era ir até o templo “Pura Tirta Empul”, terraços de arroz “Tegalalang” e fazenda de café “Luwak”. Para mim, só a floresta de macacos e o templo foram atrações que eu desconhecia. O templo ficava um pouco mais afastado de Ubud, mas nada muito absurdo. “Pura Tirta Empul” é famoso pela sua água sagrada e vários locais que praticam o hinduísmo vão para realizar um ritual de purificação. A água do templo vem de uma fonte natural e quando ele foi construído, foi dedicado à Vishnu (Narayana), um ser superior que preserva a trindade hindu, composta por Brahma, Shiva e ela. Quando visitamos o templo, estávamos por contra própria, ou seja, sem guia nem nada. Esse é um lugar que eu recomendaria ter alguém com conhecimento para explicar tudo que está acontecendo e contar um pouco mais sobre a história.

Pray Temple - Bali Ep 7 Group Temple - Bali Ep 7

Na saída, resolvemos passar pelas lojinhas que mais pareciam uma espécie de camelódromo em forma de labirinto, que nos fazia passar por todas lojas até encontrarmos a saída. Acabamos só comprando frutas locais para experimentar já que um amigo meu do Reino Unido fez uma propaganda gigantesca sobre essa fruta marrom chamada “Salak”. Agora cuidem na hora de comprar, pois parece que tem duas frutas quase iguais com gostos diferentes, uma é doce e a outra bem azeda. Eu só provei a doce, que por sinal, era bem gostosa apesar de ser muito seca.

Salak - Bali Ep 7

Depois dessa visita super cultural, fomos aos terraços de arroz “Tegalalang” e à fazenda de café “Luwak”, mas sobre esses locais eu já contei para vocês no Primeiro Post, não é mesmo? Mas pra dizer que não postei nada sobre esses lugares, fica aí uma das fotos favoritas minha no terração.

Tegalalang - Bali Ep 7

Voltamos até Ubud e nos despedimos da nossa companheira de viagem austríaca.

Tiramos o resto do dia para explorar o famoso mercado de lá. Aproveitei para comprar tudo que fosse presente e lembrancinha de Bali para os mais chegados. Também foi bom, pois como eu não parei quieto em alguma acomodação, não conseguia achar lavanderia alguma para lavar minhas roupas. Acabei comprando uma camiseta nova pelo menos pra durar mais um dia antes de lavar tudo. O mercado tem de tudo, mas o forte mesmo, além das lembrancinhas turísticas, são os itens de decoração interior.

Basicamente, esse foi o dia. De resto, só descansamos, pois no dia seguinte, sairíamos de Bali e iríamos visitar a ilha vizinha: Lombok, mais especificamente Gili Trawangan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *